Anhembi recebe ajustes finais para corrida da Indy em Santana; zebras podem ser problema

Funcionários seguem trabalhando no circuito de rua montado em São Paulo, que receberá no próximo domingo a quarta etapa da temporada da Fórmula Indy. Nesta terça-feira, a reportagem esteve no Parque do Anhembi e verificou que os pilotos devem ter uma boa e uma má notícia quanto às condições da pista.

O pequeno salto que os carros davam no trecho que liga o piso de concreto do Sambódromo do Anhembi ao asfalto da rua do circuito não deve mais ser visto na edição 2012 da prova. O trabalho de fresagem feito no local conseguiu alinhar os dois tipos de pavimentação, conforme havia sido solicitado pelos pilotos aos organizadores da prova no ano passado.

“A gente pediu essa modificação, eu não vi ainda”, afirmou sobre o assunto o brasileiro Tony Kanaan, da KV Racing, na segunda, durante encontro com jornalistas no Kartódromo da Granja Viana, em Cotia, na Grande São Paulo.

Nesta terça, funcionários com carrinhos de golfe carregavam equipamentos e passavam pela reta do sambódromo, e não se notava mais o solavanco na transição do concreto para o asfalto.

Em 10 de abril, dia da vistoria do prefeito Gilberto Kassab ao autódromo, Everaldo Júnior – diretor da SPTuris, empresa responsável pela administração do Parque do Anhembi – disse à reportagem que testes feitos justamente com carrinhos de golfe haviam constatado a melhora nas condições da pista no local. Ele previu ainda que esse fato, aliado ao aumento da intimidade dos pilotos com o traçado, acarretaria um ganho de até 1s por volta.

Outro pedido antigo feito pelos pilotos, no entanto, ainda não foi atendido para a terceira edição da SP Indy 300: a modificação das zebras. Em 2011, o brasileiro Helio Castroneves, piloto da Penske, fez uma reunião com membros da prefeitura apresentando uma nova opção, um modelo feito com placas de fibra – flexíveis – usado em pistas dos Estados Unidos.

A novidade não foi acatada daquela vez e, conforme pôde atestar a reportagem na terça, as zebras continuam bastante altas, sendo feitas de concreto, na curva 1, na saída do sambódromo. O fato pode gerar novas reclamações dos corredores – em 2010, por exemplo, a brasileira Bia Figueiredo, que competirá neste ano pela Andretti, disse que sentiu dores “intensas” devido à rigidez das zebras no circuito.

Procurada pela reportagem, a assessoria de imprensa da SP Obras, responsável pelos ajustes no circuito, informou que uma alteração nas zebras não foi exigida pela organização da Indy.

A empresa vinculada à Secretaria de Infraestrutura Urbana e Obras ainda apontou estar “em conformidade” com as determinações dos organizadores, eliminando o desalinhamento do piso ao final da reta do sambódromo e instalando canaletas para facilitar o escoamento da água em caso de chuva.

Nesta terça, a reportagem passou pelo sambódromo quando o circuito acabava de ser lavado. Com varredeiras motorizadas, caminhões faziam a limpeza da pista. Nesse setor até a chamada Curva do Samba estava tudo praticamente pronto, com a área de escape pintada de vermelho.

Funcionários trabalhavam ainda na estrutura de arquibancadas, que comportarão até 40 mil torcedores durante os treinamentos do sábado e a corrida de domingo. A assessoria de imprensa do evento não precisa a quantidade de ingressos restantes, dizendo apenas que são “poucos”. A projeção é de que todos os bilhetes serão esgotados até o fim de semana.

Os preparativos serão concluídos na próxima sexta, quando a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) implantará uma operação especial de trânsito para a SP Indy 300.

A partir das 23h59 de quinta até as 20h de domingo ficarão fechadas as seguintes ruas na região do circuito: pista local da Marginal do Tietê, sentido Castello Branco, entre a Ponte das Bandeiras e a Ponte da Casa Verde; Avenida Olavo Fontoura, sentido Santana, entre a Rua Brazelisa Alves de Carvalho e a Praça Campo de Bagatelle; Rua Professor Milton Rodrigues, sentido Olavo Fontoura; Rua Marechal Leitão de Carvalho, entre a Rua Massinet Sorcinelli e a Avenida Santos Dumont, com alteração de circulação de sentido único para duplo; Rua Massinet Sorcinelli, entre a Marginal Tietê e a Rua Marechal Leitão de Carvalho.

Das 21h da sexta às 23h59 de domingo, passarão a valer também os seguintes bloqueios: Avenida Olavo Fontoura, sentido Casa Verde, entre Praça Campo de Bagatelle e a Rua Brazelisa Alves de Carvalho; Rua Professor Luciano Prata; Rua Doutor Melo Nogueira; Rua Brazelisa Alves de Carvalho (interdição parcial); e Rua Anita Malfatti (interdição parcial).

Fonte: Portal Terra




Deixe seu comentário