Espetáculos teatrais em Santana retratam a história e divertem com muita comédia

Confira a programação de peças teatrais em cartaz no bairro de Santana:

D. Pedro 2º

Imperador de 1840 a 1889, D. Pedro II teve sua vida contada a partir de episódios repletos de dramaticidade e destacada com base neles. Primeiro monarca nascido no Brasil, D. Pedro era reconhecido como um pequeno deus europeu, cercado por mestiços. Órfão de mãe com um ano, de pai aos dez, imperador aos catorze e exilado aos 64, no seu caminho é difícil notar onde se inicia a fala mítica da memória, quando acaba o discurso político e ideológico; onde começa a história, onde fica a metáfora. 2º D. Pedro 2º vem discutir e provocar esses caminhos históricos, místicos e míticos da figura de D. Pedro II. O que os historiadores contam, o que omitem e principalmente em que discordam. Desse modo, explorar o que de real ou virtual pode haver na história e em quem a faz. Quinto espetáculo da Cia. Les Commediens Tropicales, 2º D. Pedro 2º mergulha nos construtores do nosso passado, focando na figura do nosso maior imperador. A cena é um jogo entre os historiadores e suas propensões, interpretações, fontes e imaginação; esses elementos que tornam o passado histórico um virtual para os dias atuais. O foco é justamente a contradição existente nas diversas visões dos historiadores sobre os mesmos eventos históricos. Projeto contemplado pela Lei de Fomento ao Teatro da Cidade de São Paulo. Provocador Cênico: Fernando Villar. Texto: Carlos Canhameiro. Atores: Carlos Canhameiro, Daniel Gonzalez, Jonas Golfeto e Michele Navarro. Trilha e Música ao Vivo: Allen Ferraudo e Chico Montorfano. Cenógrafo:José Valdir. Figurinos: Grasiele Sousa. Iluminação: Daniel Gonzalez. Consultoria Histórica: Isabel Lustosa, Rodrigo Touso, Fernando Nunes e José António Pasta. Operador de Luz: Rodrigo Bianchini. Operador de Vídeo: Leandro Ivo. Produtor: Carlos Canhameiro.
Estréia dia 15 de Janeiro (sexta)
Até 22 de Janeiro, sextas, às 21h. (no teatro)
SESC Santana
Av. Luiz Dumont Vilares, 579 (Santana)
Tel: (11) 6971-8700

Ingressos: de R$ 2,50 a R$ 10,00

O Pato Selvagem

Estreia do espetáculo inédito no Brasil. A peça apresenta Anselmo Ekdal, poeta frustrado que vive, sem o confessar nem a si mesmo, do dinheiro do antigo amante da sua mulher e pai de sua filha. O confuso personagem Greg Werther, “fanático da verdade”, destrói a mentira, e como consequência, arruína a vida rotineira do casal e causa o suicídio da filha. O vencedor da peça é, portanto, a “mentira vital”, sem a qual os homens não podem viver. O Pato Selvagem resgata a mentira necessária, apresentando um tipo de humanidade que não poderia viver sem certas mentiras. A peça tem sido considerada, pela crítica, como a mais profunda de Ibsen, utilizando a fábula engenhosa do pato ferido que mergulha até ao lodo do fundo, nele firma o bico, se retém no sargaço, e nunca mais reaparece à superfície, a menos que um cão hábil o faça subir, Ibsen aborda tragicamente a fragilidade humana, cuja felicidade é destruída pelo fanatismo idealista da verdade absoluta, criando uma obra que se aproxima do espírito cético do teatro contemporâneo, descomprometido com o salvacionismo moral da literatura pós-romântica européia. Na montagem, a Cia. LCT continua o hibridismo de linguagens para a criação cênica e busca na performance art e na video art interlocutores para a realização de uma obra teatral que dialogue com a contemporaneidade.
Com Carlos Canhameiro, Daniel Gonzalez, Jonas Golfeto, Michele Navarro, Paula Mirhan, Weber Fonseca. Cenógrafo: Ricardo Palmieri e José Valdir. Figurinos: Grasiele Sousa e Juliana Roso. Iluminação: Daniel Gonzalez. Vídeo Mapping e VideoArt: Eduardo Messias, Mateus Knelsen e Ricardo Palmieri.
Estréia dia 9 de Janeiro (sábado)
Até 21 de Fevereiro, sábados, às 21h; domingos, às 19h30 (no teatro)
SESC Santana
Av. Luiz Dumont Vilares, 579 (Santana)
Tel: (11) 6971-8700

Ingressos: de R$ 4,00 a R$ 16,00

A Última Quimera

Talvez ninguém em nossa literatura tenha personificado com tamanha força a figura do outsider, do bizarro, do homem com uma sensibilidade fora do normal, como Augusto dos Anjos (I884-I9I4). Incompreendido em seu tempo e quase miserável (como herança à família deixou pouco mais do que os exemplares encalhados de seu único livro), após sua morte, tornou-se um dos maiores poetas brasileiros, com dezenas de edições do seu único livro: Eu. A Última Quimera é um estudo-ensaio-espetáculo, coisa provisória, em constante pergunta sobre qual a contribuição de um artista no processo histórico? Um jogo, inspirado no romance homónimo de Ana Miranda, que subverte regras e experimenta o prazer da finitude, da morte, da poesia e, principalmente: do teatro. O ringue na selva das cidades está armado, de um lado Olavo Bilac, de outro Augusto dos Anjos, no outro canto os atores e no canto último deste quadrilátero, o público. Adaptação:Carlos Canhameiro. Atores: Carlos Canhameiro, Daniel Gonzalez, Michele Navarro, Paula Mirhan, Tetembua Dandara, Weber Fonseca. Provocação Cênica: Georgette Fadel e Verónica Fabrini. Músico e Sonoplasta: Allen Ferraudo. Cenógrafo: Zé Valdir. Iluminação: Marcio Aurélio. Figurinos: Bia Szvat e Isa Giuntini. Produção: Carlos Canhameiro.
Estréia dia 29 de Janeiro (sexta)
Até 5 de Fevereiro, sextas, às 21h. (no teatro)
SESC Santana
Av. Luiz Dumont Vilares, 579 (Santana)
Tel: (11) 6971-8700

Ingressos: de R$ 2,50 a R$ 10,00 (R$ 10,00 [inteira] R$ 5,00 [usuário matriculado no SESC e dependentes, +60 anos, professores

Mãos ao Alto, SP!

Mãos ao Alto, SP! é uma comédia ao estilo nonsense que conta três histórias apresentadas de forma não cronológica. Em uma, Nélio e Manco são dois bandidos semiprofissionais encarregados de buscar uma encomenda para o chefe. Na outra, há dois policiais hilários, Saldanha e Rodrigues, que estão à procura de uma mulher. Por último, conhecemos os recém-separados Rafy e Flora, a embriagada Reni, seu mimado filho Mariano e a apavorada empregada Oswaldina. Coincidências aparentemente impossíveis ligam essas histórias e fazem desse emocionante espetáculo uma experiência imperdível! A adaptação e a direção de Fernando Ceylão dão à comédia um clima cinematográfico, brincando com diversos gêneros, indo da sátira de filme noir à sátira de filme de ação blockbuster anos 80. As referências ainda passam por Hitchcock, Fred Zinnemann, Tarantino, Woody Allen, Peter Sellers e até seriados como Corra que a Policia Vem Aí, Friends e Simpsons! Suspense, caminhos cruzados e histórias contrapostas tornam surpreendente o final desse espetáculo!
Estréia dia 30 de Janeiro (sábado)
Até 21 de Março, Sábados às 21h e domingos às 19h Atenção: dias 13 e 14 de fevereiro (carnaval ) não haverá espetáculo.
Teatro Jardim São Paulo (371 lugares)
Avenida Leôncio de Magalhães, 382 (Santana)
Tel: (11) 6959-2952

Ingressos: R$ 40,00 aos sábados e R$ 30,00 aos domingos

Fonte: Sampa Online




Deixe seu comentário