Fraude com o bilhete único leva Viação Sambaíba a demitir 80 em Santana

Um esquema de fraude no uso do bilhete único levou a Viação Sambaíba, que faz o transporte na Zona Norte da capital, a demitir entre 80 e 100 funcionários. Os cobradores envolvidos utilizavam cartões de idosos e deficientes, que são isentos da cobrança, para liberar os passageiros na catraca. E cobravam a tarifa em dinheiro desses usuários, embolsando a quantia. Essa prática, no entanto, pode ter sido ainda maior e atingido outras empresas de ônibus da capital em janeiro.

Um dos funcionários demitidos passou o mesmo bilhete 141 vezes em três dias. Isso significa que ele obteve com a fraude R$ 324,30 em 72 horas. O esquema foi descoberto em 5 de janeiro, quando representantes da Sambaíba encontraram uma sacola com seis cartões de idosos e deficientes dentro de um microônibus. A maioria das demissões ocorreu na semana passada.

Uma das bandeiras de campanha do prefeito Gilberto Kassab (DEM), na eleição do ano passado, era que ele manteria o preço da tarifa em R$ 2,30 até o fim de 2009 porque havia acabado com as fraudes no bilhete único. Kassab proibiu a recarga do bilhete na catraca dos ônibus com a justificativa de que isso possibilitava fraudes. O prefeito dizia que, com o dinheiro economizado no combate aos abusos do cartão, seria possível manter o valor da passagem.

Após encontrar a sacola com bilhetes dentro do microônibus, a Viação Sambaíba fez um levantamento para descobrir os envolvidos. A empresa verificou, em seu sistema, quantas vezes os mesmos cartões foram passados no mesmo ônibus em um único dia. Os cartões com gratuidade teriam sido vendidos aos funcionários por ambulantes no ponto final das linhas.

A Sambaíba faz o transporte nos bairros de Santana, Tucuruvi, Tremembé, Casa Verde, Cachoeirinha, Vila Maria, Vila Guilherme e Jaçanã. O atual dirigente da empresa, César Fonseca, não retornou ontem as ligações do DIÁRIO.

Em nota, a SPTrans declarou que a fraude não trará “nenhum prejuízo à municipalidade porque os recursos desviados eram da própria concessionária (Sambaíba)”. Para a SPTrans, trata-se de um problema interno da empresa. O sindicato dos empresários de ônibus, SPUrbanos, afirmou que a empresa já tomou as providências necessárias, e que o sindicato não compactua com fraudes no sistema.




Deixe seu comentário