Santana: Anhembi fecha agenda até 2015 com avanço de feiras

O principal centro de eventos do País, o Pavilhão de Exposições do Anhembi, em Santana, está com a agenda praticamente fechada até 2015. Este é um dos indicadores de como o mercado de grandes feiras no Brasil deve voltar a crescer, após um ano de recuperação em 2010. De acordo com a União Brasileira de Produtores de Feiras (Ubrafe), o mercado movimenta R$ 3,5 bilhões anualmente, e a média histórica de grandes eventos realizados no País é de 170 por ano, com expectativa que o número chegue a cerca de 180 em 2011. O setor espera ter crescimento nos próximos anos, graças aos holofotes voltados para cá, inclusive em função da Copa de 2014 e das Olimpíadas de 2016.

O Pavilhão de Exposições do Anhembi tem 76 mil metros quadrados em dois espaços para a realização de eventos. O local recebe, anualmente, mais de 20 grandes feiras e cerca de 30% dos grandes eventos realizados no País. De acordo com o responsável pelo atendimento a clientes e vendas do complexo, Vanderlei Domingos, o espaço não sentiu o impacto causado pela crise econômica mundial. “O movimento não foi prejudicado. Temos muitos eventos marcados, temos a agenda quase fechada até 2015.”

Para o mercado, como um todo, 2010 foi importante, pois recebeu diversos eventos na área de entretenimento, além da Bienal do Livro e do Salão do Automóvel, o que garantiu a recuperação do setor após os prejuízos registrados no biênio 2008-09, afetado pela crise. “O setor percebe aceleração maior do que a média, e não é devido a um crescimento, mas à recuperação da crise. A manutenção do governo deve contribuir para os próximos anos”, afirma Anselmo Carvalho, diretor do grupo Feira&Cia, organizador do evento ExpoSystems 2010 – a maior com enfoque especializado em montagem de eventos.

Contando com as grandes feiras, a cidade de São Paulo recebe 406 eventos de características internacionais anualmente. De acordo com a São Paulo Convention & Visitors Bureau (SPCVB), a capital paulista recebe, por ano, cerca de 90 mil eventos – sejam eles corporativos, para o público final ou mesmo de caráter festivo, como casamentos.

Os principais eventos marcados para os próximos anos no Pavilhão de Exposições do Anhembi não são muito diferentes dos tradicionais. O Salão do Automóvel, por exemplo, é feito desde 1970 dentro do espaço, e a próxima edição, marcada para 2012, já está garantida. A edição mais recente, de 2010, atraiu mais de 750 mil visitantes entre 27 de outubro e 7 de novembro. Em 2011, o calendário está forte e o espaço receberá feiras como a Couromoda, entre 17 e 20 de janeiro, a Francal, de 11 a 14 de julho, a Equipotel, de 12 a 15 de setembro, e o Salão Duas Rodas, de 4 a 9 de outubro, além da festa Skol Sensation, a ser realizada no primeiro semestre. Somados, esses eventos devem atrair mais de 450 mil visitantes.

“São Paulo possui 44 mil vagas em hotéis e estrutura para receber visitantes. É uma cidade preparada para isso”, afirma Armando Arruda Pereira, presidente executivo da Ubrafe. De acordo com Pereira, a capital paulista recebe anualmente cerca de 10 milhões de visitantes para eventos e feiras que são realizados na cidade, o principal alvo de eventos do País.

Além da retomada do crescimento, o setor deve enfrentar mudanças nos próximos anos, de acordo com Carvalho, da Feira&Cia. “O impacto das mídias sociais deve alterar a forma de promoção, a leitura do mercado em relação ao próprio evento”, afirma. “Além disso, acredito em uma verticalização cada vez maior do mercado, um fenômeno cada vez mais necessário. Eventos menores, mais segmentados”, explica.

Fonte: DCI




Deixe seu comentário