Megarrampa em Santana arrebata e emociona público e competidores

No último fim de semana, São Paulo foi a capital mundial do skate. Em apenas cinco dias, 100 trabalhadores ergueram uma estrutura de madeira e de aço de 60 toneladas em pleno Sambódromo do Anhembi, no bairro Santana: a megarrampa de skate, com 30 metros de altura, arena perfeita para o esporte que já é praticado por 380 mil pessoas em São Paulo, mais de 1 milhão no Estado e quase 4 milhões em todo o País.

A altura da rampa impressionou até os mais experientes skatistas, inclusive os campeões internacionais do esporte, que precisaram de muita coragem para dropar (ou descer) a estrutura. A visão deslumbrante de uma metrópole tão extensa que não se consegue ver por inteiro, misturada com a emoção e a adrenalina comum aos esportes radicais, fez do campeonato um verdadeiro espetáculo para competidores e público, que lotou a arena do Sambódromo no sábado e no domingo.

A megarrampa brasileira, com mais de 100 metros de extensão e 30 metros de altura – equivalente a um prédio de nove andares –, é a única do Hemisfério Sul.

O Brasil e os Estados Unidos são as duas maiores potências no skate. Já fazem parte do circuito mundial 300 brasileiros profissionais e mais de 10 mil estão inscritos na Federação Brasileira de Skate.

São Paulo recebeu esse espetáculo único graças a uma conjugação de esforços da Secretaria Municipal de Esportes, Lazer e Recreação; de Bob Burnquist, skatista paulistano e lenda viva do esporte, que aceitou o convite para participar do evento; da empresa Brasil 1, que assumiu a tarefa da construção da megarrampa; e da TV Globo, que transmitiu ao vivo a competição.

Um garoto norte-americano de 14 anos, o Mitch, promete ser uma das sensações da pista, ao lado de campeões como o próprio Bob Burnquist, bicampeão da competição, Lincoln Ueda, Edgard Pereira, Pedro Barros e Rony Gomes, do Brasil; e Jake Brown, Rob Lorifice, AdamTaylor e Elliot Sloan, dos Estados Unidos.

Lenda viva

Quando Bob Burnquist era pequeno, seu pai mandou construir nas dependências de sua indústria uma pista de skate para ele se distrair ao visitá-lo. Ele transformou sua distração em profissão.

Hoje, Bob tem uma megarrampa em sua casa, em San Diego, na Califórnia. Trata-se de uma pista oficial que faz parte do circuito internacional.

No domingo, na megarrampa de São Paulo, ele mostrou mais uma vez por que é considerado um dos melhores do esporte: ficou com o primeiro lugar do pódio, “voando” mais alto do que todos os competidores brasileiros e norte-americanos.

Além de ser um atleta exemplar, Bob se empenha não apenas em conquistar um número cada vez maior de troféus, mas também em formar futuros campeões, nessa que é uma modalidade acessível a todas as classes sociais.

No fim da competição, ao receber o prêmio das mãos do secretário de Esportes, Lazer e Recreação do Município, ele se dispôs a visitá-lo logo que retornar à Cidade. Juntos, vão idealizar formatos visando à massificação do skate em São Paulo.

Fonte: Prefeitura de São Paulo




Deixe seu comentário